Muitos dados relevantes finalmente foram lançados sobre o final do ano passado e os primeiros meses de 2021, que podem dizer muito sobre o futuro do setor de energia solar como um todo.

 

Este é um resumo de um estudo de mais de 90 páginas da Greener sobre o mercado fotovoltaico de geração distribuída. 

 

Quem respondeu a pesquisa

 

1.579 empresas integradoras de energia solar no período de 25 de novembro de 2020 a 10 de janeiro de 2021. 

 

30 distribuidoras de kits no período de 3 de dezembro de 2020 a 19 de janeiro de 2021. A pesquisa contou com uma amostragem de empresas que juntas foram responsáveis pela importação de 57% dos equipamentos fotovoltaicos em 2020*. 

 

260 clientes finais, compondo com proprietários de sistemas fotovoltaicos no período de 14 de dezembro de 2020 a 15 de janeiro de 2021. A pesquisa contou com uma amostragem de clientes de classe comercial de todo o país, que adquiriram seu sistema a partir de 2017. 

 

A pesquisa

 

A primeira parte da pesquisa apura o ano em que as empresas do setor começaram suas atividades.

29% das empresas entrevistadas iniciaram suas atividades no setor solar em 2016 ou em anos anteriores. Mais da metade dessas empresas começam a atuar a partir de 2018, com porcentagem de 54%.

 

A população de empresas integradoras ativas foi estimada em 14.700 segundo a Greener e com informações repassadas por entidades e empresas do setor fotovoltaico.

 

Cadeias de suprimentos (Importação de Módulos Importação de Inversores Módulos Nacionais)

 

Apesar da tendência de queda no volume, 2020 teve um crescimento de 15% em relação ao ano de 2019 de módulos fotovoltaicos importados de geração distribuída e Geração centralizada.

 

O top 10 marcas do mercado, de 77 ao todo, foram responsáveis por 87% do total importado em 2020.

Já os inversores tiveram queda nos 3 primeiros trimestres do ano passado, mas se recuperaram no 4 trimestre com crescimento de 41% em relação a 2019.

 

Integradoras entrevistadas

Houve aumento no número de empresas dedicadas exclusivamente à energia solar, de 30,9% no final de 2019 para 42,3% em 2020.

 

82% das empresas possuem até 10 colaboradores, o que pode indicar uma tendência à terceirização de serviços de engenharia e instalação.

 

A participação média de mulheres nas empresas varia de 16% a 21%, a depender do porte da empresa.

 

Canais de comunicação que mais geraram vendas em 2020

34% das empresas após 10 meses do início da pandemia apresentam volume de negócios superior ao período pré-pandemia. Porém 14% ainda sofrem com o período.

 

68% das empresas disseram que pretendem investir mais em marketing em 2021.

 

Entrevistas ao Cliente Final

 

A maior parte dos comércios relataram que adquiriram os sistemas fotovoltaicos por motivos de economia. O segundo motivo principal foi a sustentabilidade. Valorização do imóvel e insatisfação com a concessionária também foram mencionados na pesquisa.

 

88% dos clientes finais se sentem satisfeitos ou muito satisfeitos com os painéis fotovoltaicos. 9% dos que se sentem insatisfeitos relataram geração inferior à calculada/prometida.

 

Conclusão

 

O sucesso no controle da pandemia e seus reflexos na economia ainda são incertos, porém são fatores que devem influenciar – positiva ou negativamente – a demanda por sistemas FV em 2021.

 

Os consumidores comerciais que adquiriram um sistema de geração FV apresentam elevado nível de satisfação (88%). Por outro lado, 9% estão insatisfeitos ou pouco satisfeitos, mostrando uma oportunidade para aprimorar o nível de serviço oferecido pela cadeia de integração.

 

O uso de ferramentas digitais foi fundamental para uma maior eficiência nos negócios de grande parte dos integradores. Isso é algo cada vez mais indispensável e o mercado provavelmente irá acelerar na digitalização de agora em diante.